Dicionário da Piscina

Conheça o significado dos principais termos técnicos
relacionados ao tratamento de piscinas.

Glossário

Selecione a palavra abaixo para ver sua descrição:

Acidulante

Produto ácido, destinado a neutralizar produtos básicos (alcalinos), ou seja, a baixar o pH de uma solução.

Água Dura

Contém excesso de sais de cálcio e magnésio (acima de 400 ppm) dissolvidos.

Alcalinizante

Produto básico, destinado a neutralizar produtos ácidos, ou seja, elevar o pH de uma solução.

Algas

Formas microscópicas de vegetais sem raízes, que utilizam a luz do sol e micronutrientes da água para se desenvolver e procriar (fotossíntese). Algumas variedades flutuam livremente na água, outras prendem-se às superfícies. Geralmente apresentam coloração verde, verde azulada, amarela ou marrom. Chegam às piscinas trazidas pelo vento, chuvas poeiras.

Algicida

Produto destinado a eliminar o desenvolvimento de algas.

Aspiração

Processo de remoção de sujeira sobre as superfícies da piscinas por meio do sistema de sucção pela motobomba e aparelhagem adequada, através do qual a sujeira é aspirada junto com a água, podendo esta ser filtrada e reaproveitada ou descartada junto com a sujeira (drenagem).

AT (Alcalinidade Total)

Alcalinidade total é a soma das concentrações dos diversos sais dissolvidos na água que reagem com ácidos, neutralizando-os, e com isso impedem o abaixamento repentino do pH. Águas com baixa alcalinidade tem seu pH alterado bruscamente mesmo com a adição de pequena dosagem de algum produto químico (ácido) ou até pela água de chuvas (geralmente ácidas); a falta de alcalinidade faz com que a água se torne agressiva e provoque corrosão de elementos minerais, como cimento, juntas de azulejo, metais, etc.. Águas com alcalinidade alta tem grande resistência ao abaixamento do pH. A faixa de alcalinidade ideal para águas de piscinas varia de 80 a 120 ppm conforme o produto desinfetante utilizado e os tipos de materiais em contato com a água.

CC (Cloro Combinado)

O residual de cloro livre, quando em quantidade insuficiente para oxidar por completo certos contaminantes como suor, urina, bronzeadores, entre outros, combina-se apenas parcialmente com os mesmos, gerando o cloro combinado, que tem cheiro forte e irritante de cloro e é detectado na análise como residual de cloro, mas tem baixíssima eficiência desinfetante e oxidante. Ele é facilmente reconhecido pelo cheiro característico de cloro acima da superfície da água, geralmente muito irritante para os olhos dos banhistas. Normalmente os usuários atribuem isso ao “excesso de cloro”, alguns a “alergia ao cloro”, quando na verdade se trata da presença de cloro combinado, isto é, cloro insuficiente para enfrentar as contaminações.

O residual de cloro combinado ideal em piscinas é zero, porém pode ser tolerado até o máximo de 0,2 ppm.

CL (Cloro Livre)

É a quantidade de cloro adicionado à água superior à sua necessidade. Esse é residual de cloro livre. É importante mantê-lo sempre presente para que toda a contaminação futura seja eliminada logo que chegue à água, não permitindo crescimento de demanda. Somente a presença de cloro residual livre pode atestar que a água está em condições sanitárias seguras para ser utilizada.

O residual ideal de cloro livre para ser mantido o tempo todo em águas de piscinas é de 2 a 4 ppm (parte por milhão). Isto significa que em 100.000 litros de água (100m3) devemos ter uma quantidade de 200 gramas (0,2kg) a 400 gramas (0,4kg) de cloro.

Clarificação

Processo de remoção de turbidez da água.

Clarificante

Produto utilizado para clarificar a água.

Cloração de manutenção

Tratamento de cloração para manter residual de cloro constante na água a fim de prevenir acúmulo de poluentes. Recomenda-se residual de 2 a 4 ppm de cloro livre.

Cloramina

Composto formado pela reação do cloro livre da água com o nitrogênio amoniacal proveniente de suor, urina, óleos etc.

É verdadeiro responsável pelo “cheiro característico” de cloro da água, quando na verdade ele só se forma em águas com pouco cloro. Tem poder desinfetante reduzido.

DC (Dureza Cálcica)

Dureza cálcica da água é a medida de seu conteúdo de minerais dissolvidos, especialmente dos sais de cálcio e magnésio (dureza total). Nas águas de piscinas a preocupação maior é a dureza cálcica, isto é, seu teor de sais de cálcio porque são eles que se combinam com a alcalinidade em pH alto, tornando-se insolúveis e, quando presentes em grande quantidade, provocam turbidez da água e incrustações calcáreas especialmente nos aquecedores. Alta dureza também diminui a eficiência desinfetante.

Águas com dureza excessivamente baixa podem causar problemas como corrosão de argamassa ( e outros materiais que contém cálcio como cimento, cal, gesso, etc.) e de metais.

A faixa de dureza cálcica ideal para o equilíbrio físico-químico da água situa-se entre 200 e 400 ppm.

Demanda de Cloro

Quantidade de cloro necessária para destruir contamintantes.

Desinfecção

Processo que consiste em matar 99,99% dos microorganismos presentes num meio.

Equilíbrio físico-químico

Interação dos parâmetros físico-químicos (pH, alcalinidade total, dureza cálcica, sólidos dissolvidos e temperatura) de uma água.

Estabilização

Processo que impede ou retarda a decomposição rápida do cloro livre da água pelos raios ultravioletas do sol.

Estabilizante

Produto destinado a estabilizar o residual de cloro da água da piscina.

Filtração

Processo de remoção de partículas (sujeira) suspensas na água que consiste em fazê-las passar por meio flutuante (como areia, por exemplo).

Incrustações calcáreas

Depósito de sais de cálcio que se formam sobre superfícies.

Inibidor de manchas e incrustações

Produto destinado a eliminar manchas e águas coloridas causadas por metais, prevenir manchas e colorações na água e inibir incrustações calcáreas.

Oxidação de Choque

Processo de eliminação de cloraminas e outros contamintantes que consomem cloro livre.

Oxidante

Produto destinado a oxidar (queimar).

pH

É a variação de uma escala de 0 a 14, que expressa a concentração de íons de hidrogênio (H+) presentes numa solução aquosa, indicando se a água está ácida (pH entre 0 e 7), neutra (pH igual a 7) ou básica (pH entre 7 e 14 também se diz alcalina).
A acidez de uma solução aumenta a medida que o pH baixa; e vice-versa, a acidez diminui á medida que o pH sobe.
A basicidade de uma solução aumenta a medida que o pH aumenta; e vice-versa.
O pH da água da piscina tem influência importante sobre a qualidade da água, a eficácia dos produtos utilizados, o conforto dos banhistas e a conservação dos equipamentos com os quais a água entra em contato. Águas com pH baixo de 7,0 (ácido) provocam irritação nos olhos e pele dos banhistas, corrosão dos equipamentos e materiais da piscina, alguns rapidamente percebidos como nos metais, outros somente visíveis a mais longo prazo, como em concreto; em pH baixo o cloro se dissipa rapidamente.
Águas com pH muito básico causam incrustações nas paredes e equipamentos da piscina, diminuem a eficiência do cloro, e podem apresentar turbidez e leitosidade. O ideal é manter a água da piscina levemente básica, na faixa de 7,4 a 7,6.

PPM (Partes por milhão)

É uma relação entre grandezas muito utilizada em tratamento de água, em que lidar com porcentagem resultaria em números muito grandes (1% = 10.000ppm) de forma que 1 ppm significa uma parte em 1.000.000 de pares.

Exemplo:

Para produtos sólidos
2 ppm significa

Para produtos líquidos
5 ppm significa

      2 gramas em 1.000.000 de gramas       5 ml em 1.000.000 de ml
      2 quilos em 1.000.000 de quilos       5 litros em 1.000.000 de litros
      2 toneladas em 1.000.000 de toneladas       5 metros cúbicos em 1.000.000 de metros cúbicos

Residual de cloro

É a quantidade de cloro que sobra na água algum tempo após a cloração ter feito seu trabalho de oxidação e desinfecção. A quantidade de cloro consumida é chamada de demanda de cloro. Portanto, cloro residual é igual a dosagem de cloro menos demanda de cloro.

Empresa filiada à :
APSP
Web Designer